Entraves ao comércio - brasil

Solo disponible en BuenasTareas
  • Páginas : 6 (1416 palabras )
  • Descarga(s) : 0
  • Publicado : 24 de enero de 2011
Leer documento completo
Vista previa del texto
Vamos ter um perspectiva da politica comercial brasileira ao longo dos últimos anos de forma a identificar as principais diferenças entres as políticas proteccionistas utilizadas há 30 anos atrás das que são utilizadas actualmente, vamos falar das barreiras tarifárias e não tarifárias do Brasil e de alguns dos seus parceiros comerciais dos últimos 10 anos, e finalmente a nossa conclusão.____________________________________________________________

_________________
Começando então pelo histórico da politica comercial brasileira, mostramos este quadro onde refere a evolução da taxa nominal em percentagem das tarifas aplicadas entre os anos de 1985 e 1997, de referir que o Brasil, antes deste período, iniciou uma reforma de política económica implementada em Dezembro de 1979, Essaspolíticas eram baseadas na substituição de importações em que, com o intuito de proteger a indústria nacional, foram estabelecidas barreiras aos produtos importados seja mediante adopção de altas tarifas nominais ou adopção de quotas, proibições e diversos tipos de barreiras não tarifárias A partir de 1988, inicia-se o processo de abertura comercial, que reduziu significativamente o nível e avariância do grau de protecção às actividades. Sendo que a protecção da indústria doméstica constituiu, historicamente, o núcleo da estratégia de desenvolvimento e o principal instrumento de política industrial no Brasil até o início da década de 90.
No período referente ao quadro de 85 a 97, verifica-se o resultado de uma politica de abertura ao exterior, as taxas nominais diminuíram drasticamenteneste período, o país passou de uma tarifa média de protecção de 105% no período 1985/88, para 34% em 1989/93 e 13,4% em 1994/97.
Também de verificar a politica sectorial adoptada antes de 1988, em que se baseava principalmente na protecção da industria de bens de consumo duráveis, enquanto que a industria de bens de capital tinha taxas mais baixas. A alta protecção estava associada aos sectores commenor relação capital/produto, pequena escala baixa produtividade. A partir de 1988 há uma mudança de padrão de protecção, e no ultimo período de 1994/97 a diferença entre as taxas diminui bastante e há inclusive a inversão entre alguns sectores. Como é o caso da metalurgia e mecânica (de 60 para 14)m e perfuraria sabões e velas e fumo (160 para 10).____________________________________________________________

_________________

Observando este gráfico tem-se uma melhor percepção da evolução das tarifas às importações no período de 1987 a 1994.Há realmente uma diminuição drástica nas tarifas aplicadas Às importações que estabiliza em 1994, e a partir daí até aos dias de hoje se mantém relativamente estável.
A partir de 1990, passou-se à adopção de políticas liberais de comércio,com o fim das barreiras não tarifárias e a diminuição das tarifas o que levou a uma reestruturação sectorial do Brasil, as exportações diminuíram neste processo e as importações aumentaram, fruto da falta de competitividade da industria brasileira.
____________________________________________________________

_________________
Esta diminuição e estabilidade deve-se à abertura comercial doBrasil e à participação em diversas organizações de trocas internacionais, como é caso da OMC que foi criada nas conclusões da Uruguai round Gatt, entrou em funcionamento em 1995 substituído directamente o GATT. Brasil é um dos países mais activos na OMC
Faz também parte da Mercosul desde 1991 Brasil, Paraguai e Uruguai argentina, livre circulação de bens, serviços e factores produtivos, doestabelecimento de uma Tarifa Externa Comum (TEC), da adopção de uma política comercial comum,;
Cairns group, esta organização em Resposta à PAC Europeia e à politica de promoção de exportações dos USA – tem como objectivos em abolir os subsídios à exportação do sector agrícola,
G-20 1999 grupo formado pelos ministros de finanças e chefes dos bancos centrais das 19 maiores economias do mundo mais a...
tracking img