Iluminatis

Solo disponible en BuenasTareas
  • Páginas : 6 (1446 palabras )
  • Descarga(s) : 0
  • Publicado : 10 de septiembre de 2012
Leer documento completo
Vista previa del texto
Bispo fala sobre os Illuminati e a Igreja
McAlister alerta a Igreja que o que realmente importa é estudar as Escrituras e fazer a diferença
na Terra.



O Bispo Walter McAlister entrou em contato com nossa redação e afirmou que fora mal
interpretado em nossa matéria. Por isso, deixamos apenas o texto na íntegra.
Leia o texto na íntegra:
“Todos nós sabem os que desde os tem pos antigosexistiram im peradores, m uitos dos quais
foram hom ens tom ados de um a am bição desum ana que extrapolou toda e qualquer
sensibilidade ou com paixão. Vivendo e sendo guiados pela ânsia nua e crua de poder,
esm agaram os povos que se opuseram a eles: Alexandre, o Grande; os Césares; Gengis Khan;
Napoleão. E até aqueles que, sem ser im peradores, agiram com o tal, a exem plo de Adolf
Hitler.Esses estadistas ceifaram a vida de m ultidões com o gram a para alcançar seus objetivos
de poder, em grande parte insanos. A gana por ter nas suas m ãos o destino dos povos
assegurou a m uitos deles um lugar de infâm ia na H istória do m undo.
Am bição é um a constante hum ana. Em todos os tem pos, e em todos os níveis, houve quem
quisesse agregar para si poder sobre os outros. Esse poderconfere a quem o detém quase que
o status de sem ideus, pois projeta o sentim ento do am bicioso para além da condição de m ero
m ortal.
M as o tem po de ditadores já passou, claro. Vivem os num planeta m ais civilizado. Bem … será?
Será que não sobrou quem queira dom inar o m undo? Será que esse im pulso satânico deixou

de existir? Afinal, será que todos já aprenderam que querer dom ínioglobal é um a am bição
fadada ao fracasso e à destruição? Claro que hom ens da laia de H itler são coisa do passado!
Claro que não existem m ais figuras com o essas! Na realidade, infelizm ente não é bem assim .
Sabem os que há líderes tribais na África que sequestram crianças, forçando-as a se tornarem
assassinas – até da sua própria fam ília. De m etralhadoras nas m ãos, e com apenas 11 ou 12anos de idade, são transform adas em m onstros. Liderando essas m ilícias há hom ens
desprovidos de qualquer noção de hum anidade. Não só na África, m as entre as FARC e, por
que não dizer, nas favelas dos centros urbanos da nossa própria nação.
Sabem os m ais: há com panhias que produzem alim entos que sabidam ente contêm elem entos
cancerígenos. Coincidentem ente (ou não?), são as m esm as companhias que fabricam os
m edicam entos que tratam os cânceres que esses aditivos provocam . “M as isso é loucura!”,
poderíam os pensar. “É fruto de um devaneio doentio. Im agine se alguém seria tão cruel e
desum ano ao ponto de causar doenças só para aum entar a sua fortuna pessoal. Não! Pessoas
assim não existem ”.
Histórias dessa linha, as que falam de conspirações, cartéis, Illum inati,barões em castelos
tram ando contra a hum anidade… são obras de ficção. Bobagem ! O m undo está um caos, isso
sim . Está tudo um a grande bagunça. Claro que existe um diabo que quer m atar e destruir, m as
isso não acontece em larga escala. N o m áxim o ele quer que eu traia a m inha esposa ou que
eu perca os m eus filhos para um a vida de pecado. O resto foi inventado para servir de roteiroem H ollywood. Sim , podem os pensar tudo isso.
Todavia, revoluções criadas pelo m ercado do petróleo, experiências com novos rem édios em
vilarejos inteiros na África, cartéis de tráfico de diam antes que escravizam populações, crédito
bancário que m antém os trabalhadores deste m undo num estado perpétuo de escravidão,
seres hum anos m antidos em regim e escravo, tráfico de drogas, safrastransgênicas,
conspirações de revolução social m undial… essas coisas existem . Por trás de cada um a delas
há pessoas que tom am decisões. Que têm noção do que estão fazendo. H á gananciosos que
não enxergam o custo em vidas hum anas com o algo que im porta. O seu interesse é tão cruel
com o o de um H itler ou um Gengis Khan. Não usam espadas para esquartejar as suas vítim as.
Usam com...
tracking img