Livro i, cap. iii do contrato social de rousseau, “...a força não faz o direito...”

Solo disponible en BuenasTareas
  • Páginas : 4 (887 palabras )
  • Descarga(s) : 0
  • Publicado : 12 de junio de 2011
Leer documento completo
Vista previa del texto
Universidade de São Paulo
Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Faculdade de filosofia
Ética e Filosofia Política I
Professora Maria das Graças de Souza
Trabalho (Livro I, cap. IIIdo Contrato Social de Rousseau, “...a força não faz o direito...”)

Aluno: Nelson Horochovski Filho
Número USP: 5939611

A desigualdade é quase nula no estado de natureza, a piedade é ocontrapeso na balança das relações humanas, a ação do homem visa unicamente à conservação de si mesmo. Quem, hoje, lê o Discurso sobre a Origem e os Fundamentos da Desigualdade entre os Homens dificilmentenão se deixa impregnar por este “lugar” idílico, construído por Rousseau. Era lá que vivíamos apenas o momento presente, sem qualquer preocupação com um futuro, sem depressão, sem dor, sem miséria. Talestado em que somente uma força realiza-se: a força dos impulsos naturais sempre apontado a objetos alocados na imediatidade, que tenham utilidade para sobrevivência no tempo atual. Sem que haja umasociabilidade, não se conhece o bem, o que impede o homem natural de praticá-lo; o mesmo concernente ao mal – o mal entendido como prática deliberada será realizável em uma sociedade “racional”,sociável. Tudo isso faz do estado de natureza um reino de paz perene, sem o predomínio da vaidade, orgulho ou amor-próprio, a “justiça” não é praticada, uma vez que não existe tal conceito. Em tal“mundo” não se sente falta um dos outros, em vista disso, aquilo que se convencionou conceitualmente, depois, com palavra amor, inexiste: o que ocorre é o instinto sexual bruto, resolvido em qualquerencontro casual. Nem os 60, com seu sistema de valores enaltecedores da liberdade, chegou perto de elaborar uma concepção de sociedade como esta, diga-se.
Dando seqüência a um Estado hipotético no“Discurso” (no segundo discurso), nosso “hippie” afirma que as desigualdades naturais, no início fracas e insignificantes, vieram a se multiplicar na sociedade, porque, por um lado, houve um aumento de...
tracking img