Rwtwertwert

Solo disponible en BuenasTareas
  • Páginas : 3 (628 palabras )
  • Descarga(s) : 0
  • Publicado : 15 de diciembre de 2010
Leer documento completo
Vista previa del texto
29/04/2009
Violência contra professores invade escolas particulares
A violência de alunos contra professores ultrapassou as fronteiras das escolas públicas de periferia e se instalou na redeprivada, em colégios particulares de áreas nobres. Uma pesquisa realizada pelo Sindicato dos Professores de Minas Gerais, que ouviu 2.500 educadores em todo o Estado, mostra que 41% dos entrevistados jásofreram algum tipo de agressão. A maior parte dos agredidos (27%) foi vítima de ameaças, assédio moral ou violência psicológica. Cerca de 5% dos professores denunciaram ter sofrido violência física. Deacordo com a coordenadora do estudo, Maria das Graças de Oliveira, o drama dos educadores das escolas particulares é ainda maior porque, em geral, eles não encontram apoio nem da direção dasinstituições nem dos pais dos alunos. Os docentes têm medo de serem demitidos se denunciarem as agressões. A conclusão do estudo indica que o principal agressor na rede privada é o aluno com alto poderaquisitivo que não respeita os limites e tampouco é repreendido pelos pais.
"A violência é hoje a maior causa de doenças de professores da rede privada, na qual a educação é tratada como mercadoria e o alunoé tido como cliente. Não há mais respeito com o professor, que se sente totalmente nas mãos dos alunos", disse Maria das Graças. Professor da Faculdade de Educação da Universidade Federal de MinasGerais (UFMG) e ex-membro do observatório europeu de violência escolar, Luiz Alberto Gonçalves acredita que, na rede privada, o poder econômico se sobrepõe à relação educacional. "Os professores ficamacuados porque podem ser demitidos a qualquer momento. Então, sofrem a violência calados." A professora universitária R., que trabalha em uma faculdade de Belo Horizonte, ficou com medo de dar auladepois de ter sido ameaçada por um aluno repreendido por ela quando intimidava uma colega grávida. "Ele gritava comigo dizendo que pagava meu salário e poderia fazer o que quisesse. Jogou a carteira...
tracking img