A teoria do subimperialismo brasileiro: notas para uma (re)discussão

Solo disponible en BuenasTareas
  • Páginas : 46 (11348 palabras )
  • Descarga(s) : 0
  • Publicado : 28 de noviembre de 2010
Leer documento completo
Vista previa del texto
33º Encontro Anual da Anpocs GT 24: Marxismo e Ciências Sociais A teoria do subimperialismo brasileiro: notas para uma (re)discussão contemporânea 1 Fábio Marvulle Bueno e Raphael Lana Seabra 2

1.Introdução

O desenvolvimento capitalista mundial presencia, na década de 2000, a consolidação de um conjunto de Estados Nacionais periféricos que passa a se destacar pelo crescente peso econômico einfluência política nos planos regional e internacional, chamados inicialmente de “emergentes” e mais recentemente agrupados em torno da sigla BRIC, iniciais de Brasil, Rússia, Índia e China. No caso específico do Brasil, o reforço de sua influência regional e internacional assume principalmente as formas de exportação de capitais, aumento da presença de empresas brasileiras no exterior, e umapolítica externa de maior projeção. Este quadro vem impulsionando a retomada do debate sobre o subimperialismo como eixo explicativo da maior influência regional brasileira em um número crescente de trabalhos (LUCE, 2008; QUINTELA, 2008; ZIBECHI, 2008; DOMINGUES, 2008; TAUTZ, 2009; GONZALEZ, 2009; SILVA & MELO, 2009; KATZ, 2009; MULLER, 2009; PELLEGRINO, 2009; BORGES, 2009), fato que assumeimportância significativa devido à urgência em se encontrar instrumentos teóricos que orientem a ação política dos explorados e dominados na conjuntura latino-americana de enfrentamento ao neoliberalismo. Entretanto, muitos desses trabalhos não só ignoram a origem do conceito na obra do sociólogo Ruy Mauro Marini, mas principalmente esvaziam o subimperialismo de determinações econômicas, políticas esociais, considerando-o sinônimo de agressividade na expansão externa brasileira, uma dimensão meramente descritiva que prejudica a capacidade explicativa do conceito para o entendimento do Brasil contemporâneo.
1

Agradecemos encarecidamente aos comentários e críticas feitas por Juliana Amoretti, Roberta Traspadini, Sadi Dal Rosso e Tchella Masso, sem os quais este esforço não seria possível. 2Doutorandos, respectivamente, pelo Instituto de Economia da Unicamp (IE/Unicamp) e Departamento de Sociologia da UnB (SOL/UnB).

1

O objetivo deste trabalho é retomar a formulação original do subimperialismo na obra de Marini, destacando suas implicações teóricas e sua pertinência como eixo interpretativo da atual fase do capitalismo brasileiro. Para tanto, após esta introdução, resgataremos aimportância da obra de Marini dentro do pensamento social latino-americano, para em seguida esboçarmos um panorama dos principais processos econômicos, sociais e políticos que estão na raiz das novas interpretações subimperialistas. Discutiremos então as dimensões teóricoconceituais do subimperialismo em Marini para então analisarmos sob tal ótica a trajetória da política externa, da composiçãoorgânica do capital e da aliança de classes na história recente do Brasil, seguida das considerações finais.

2. A obra de Ruy Mauro Marini no pensamento social latino-americano O sociólogo Ruy Mauro Marini 3 é reconhecido internacionalmente como um dos mais expressivos representantes do desenvolvimento das Ciências Sociais latinoamericanas no século XX, sendo sua obra marcada pela coerência esofisticação na articulação dos estudos concretos e teóricos sobre a evolução do capitalismo dependente latino-americano, dando origem à Teoria Marxista da Dependência 4 (TMD). VALENCIA (2002) destaca a importância de Marini na formulação dos conceitos de superexploração do trabalho, subimperialismo, Estados de contra-insurgência e de Quarto poder, reflexões sobre as relações entre democracia esocialismo, além de reinterpretar os esquemas de reprodução de Marx para neles inserir o progresso técnico e destacar a importância da esfera da circulação5 no capitalismo dependente.
3

Dirigente, no início da década de 1960, do Política Operária (Polop) no Brasil, na década seguinte integrou o Comitê Exterior do Movimento da Esquerda Revolucionária (MIR) no Chile. Participou da fundação da...
tracking img