Estruturas sedimentares - ufba

Solo disponible en BuenasTareas
  • Páginas : 31 (7647 palabras )
  • Descarga(s) : 0
  • Publicado : 8 de marzo de 2011
Leer documento completo
Vista previa del texto
DEPARTAMENTO DE SEDIMENTOLOGIA – IGEO/UFBA Disciplina: GEO 047 - SEDIMENTOLOGIA I - A Profs.: Geraldo S. Vilas Boas e Félix F. Farias ESTRUTURAS SEDIMENTARES 1. INTRODUÇÃO

Estruturas sedimentares são feições maiores das rochas sedimentares e que são normalmente estudadas no campo. Elas podem ser separadas em dois grandes grupos: 1) estruturas sedimentares primárias ou sindeposicionais -formadas durante ou ligeiramente após a deposição dos sedimentos. Essas estruturas se subdividem em físicas ou inorgânicas e orgânicas e; 2) estruturas sedimentares secundárias - formadas algum tempo após a deposição do sedimento. As estruturas sedimentares primárias são as feições mais úteis na interpretação ambiental porque, diferentemente da textura, litologia e conteúdo fóssil, elas não podem serrecicladas. 2. ESTRATIFICAÇÃO OU ACAMAMENTO A disposição em camadas é uma das características mais importantes das rochas sedimentares, sendo a feição mais amplamente utilizada ao se descrever uma sucessão sedimentar. O termo estrato corresponde a uma unidade de sedimentação depositada sob condições físicas essencialmente constantes. Esse termo é aplicado independentemente da espessura da unidade desedimentação que pode variar de poucos milímetros a muitos metros. O termo camada ou leito é usado para definir estratos cujas espessuras são superiores a 1 cm, utilizando-se o termo lâmina para estratos com espessuras inferiores a esse valor. A figura 1 mostra uma terminologia para estratos e lâminas com base na espessura. A distinção dos estratos resulta de algum tipo de descontinuidadelitológica, textural ou na estrutura interna do pacote sedimentar (figura 2).

Figura 1- Terminologia para acamamento com base na espessura

Figura 2 - Estratificação produzida por diferenças de composição, tamanho, forma, orientação e empacotamento das partículas sedimentares

Cada estrato individual é frequentemente separado dos estratos adjacentes por superfícies denominadas de planos deestratificação ou de acamamento, Esses planos podem representar: 1) superfícies de não-deposição; 2) superfícies de mudanças bruscas nas condições deposicionais; 3) superfícies de erosão. O limite superior e o limite inferior de um estrato são denominados topo e base

2
Departamento de Sedimentologia/UFBA GEO 047 – Sedimentologia I – A Geraldo S Vilas Boas & Félix F Faria

(sola), respectivamente.Algumas vezes, a passagem de um estrato para outro é gradativa, sem a presença de um plano de estratificação. Muitos estratos apresentam uma estrutura interna formada por lâminas inclinadas com certo ângulo, em relação às superfícies limitantes dos mesmos e que recebe a denominação de estratificação cruzada. Diferentes níveis, dentro de um mesmo estrato podem, muitas vezes, disporem de diferentestipos de estruturas internas. Dessa forma, torna-se evidente de que, nem sempre, os estratos constituem unidades de sedimentação verdadeiras e que muitos deles foram depositados por vários eventos sedimentares separados, em alguns casos, por longos períodos de tempo. A geometria de um estrato depende das relações entre as suas superfícies limitantes (topo e base), que podem ser paralelas ou não,bem como, das formas dessas superfícies (planas, curvadas, onduladas) (figura 3).

Figura 3 – Diferentes formas que podem apresentar os estratos e lâminas sedimentares, e terminologias respectivas

Um conjunto de dois ou mais estratos, de natureza similar ou não, e geneticamente relacionado, constitui uma assembléia ou sequência de estratos, que pode ser do tipo simples (formada por estratos demesma natureza) ou do tipo composto (formada por estratos de naturezas diferentes) (figura 4).

Estruturas sedimentares

3
Departamento de Sedimentologia/UFBA GEO 047 – Sedimentologia I – A Geraldo S Vilas Boas & Félix F Faria

Figura 4 – Terminologia relativa a acamamento

A figura 5 mostra alguns termos informais usados nas descrições de campo.

Figura 5 – Nomenclatura informal...
tracking img