Lendas do norte

Solo disponible en BuenasTareas
  • Páginas : 5 (1178 palabras )
  • Descarga(s) : 0
  • Publicado : 18 de diciembre de 2010
Leer documento completo
Vista previa del texto
Untitled Page

LENDAS DO FOLCLORE BRASILEIRO

REGIÃO AMAZÔNICA As lendas amazônicas se originam, em sua maioria, da cultura indígena, tendo em vista que, para os índios, todo o universo tem um significado: o sol, a lua, as estrelas, o ar, as águas, as plantas, as aves e todos os animais. É uma simbiose entre o natural e o sobrenatural, numa fusão que eleva o espírito e cria uma atmosfera desonho e realidade.

Mula sem cabeça Uirapuru

Boto

Cabloco D'Água

Curupira

Museu da Língua Portuguesa
Boitatá Lobisomem

O BOTO

O boto é um peixe que vive às margens do grande rio. É o nosso golfinho, dócil e amigo, que gosta de estar principalmente entre as mulheres e as crianças. Dizem que, em noite de lua cheia, ele costuma sair das águas do grande rio, transformar-se em umrapaz bonito, de calças brancas e quepe, e sair à procura de algum “baile”. Como ele é encantado, todas as moças ficam apaixonadas por ele. Então ele escolhe uma, sempre a mais bonita, e assim começa o namoro. Depois de passarem a noite juntos, ele desaparece, vai para o fundo do rio novamente e a moça fica chorando e procurando aquele “moço bonito”. Ele nunca mais aparece. Porém, quando nasce umacriança cujo pai é desconhecido, a população diz: “É filho sagrado porque é filho do boto”.

UIRAPURU

É o fetiche da Amazônia, um pássaro que só canta em duas oportunidades: para chamar a fêmea para o acasalamento ou quando encontra comida. Dizem que, quando o uirapuru canta, todas as aves fazem silêncio. Sua lenda é muito linda. Contam que um rapaz, designado para ser o cacique de sua tribo,deveria se casar, mas ele gostava de duas meninas e, em sua tribo, não era permitida a bigamia. Assim, ele procurou o pajé, a autoridade máxima de uma nação indígena. Depois de ouvir sua história, o pajé decidiu que as moças passariam por uma competição; aquela que ganhasse levaria o amor do índio. A competição era de arco e flecha. Na data combinada, a primeira garota acertou, a segunda perdeu aflecha. A questão com o rapaz, então, estava resolvida. A moça que perdeu ficou muito triste e foi procurar o pajé, que, com muita pena, resolveu transformá-la num pássaro. Deu a ela uma plumagem bonita e um canto encantador. E, assim, ela foi embora... Mas o coração e o pensamento continuaram como os de um ser humano. Passado algum tempo, ela começou a pensar, imaginando se o índio estava felizcom sua esposa. Então resolveu voltar para a tribo e, quando chegou próximo à oca onde ele morava, ela cantou. O índio, ouvindo aquele canto diferente, choroso e nostálgico, resolveu procurar pelo pássaro. Ela, com medo de que ele a descobrisse, saiu voando. Dizem que, até hoje, ele não conseguiu pegar o uirapuru. Por esse motivo, o pássaro virou fetiche, é difícil de ser visto e de ser caçado. Masquem tiver uma pena do uirapuru, terá todos os amores. Quem tiver um ninho, terá, além dos amores, dinheiro. E para quem tiver um uirapuru embalsamado, será melhor do que ganhar na Sena...

Museu da Língua Portuguesa

BOITATÁ

A lenda do Boitatá deve ser uma das mais antigas do Brasil. É a cobra de fogo ou o fogo da cobra, chamada de “baetatá” pelo indígenas. Deve ter sido criada peloscatequistas para controlar o assédio dos homens às mulheres alheias. Criaram assim o compadrio: mulheres e homens, quando compadres, eram considerados irmãos de sangue e não poderiam manter romances e traições. Aqueles que não seguissem esses preceitos, quando morressem, virariam “cobra de fogo” ou boitatá e apareceriam no cemitério onde haviam sido enterrados. Conta a lenda que as bolas de fogosurgem e vão subindo da terra; quando se encontram, formam várias bolinhas. A quantidade de bolinhas significa quantas vezes estiveram juntos...

file:///C|/folclore/Temp$$$.html#caboclo[30/7/2010 17:31:54]

Untitled Page

CABOCLO D’ÁGUA

Aparece em muitos lugares do Brasil. No Rio São Francisco, é chamado de “minhocão” e, contam os ribeirinhos, foi ele quem determinou o uso das carrancas...
tracking img