Análise crítica ao artigo “os ofícios de marcar o corpo: a realização profissional de um projecto identitário” por vítor sérgio ferreira

Solo disponible en BuenasTareas
  • Páginas : 20 (4835 palabras )
  • Descarga(s) : 0
  • Publicado : 22 de enero de 2012
Leer documento completo
Vista previa del texto
Índice

Introdução 2
A “arte” de marcar o corpo: a origem e a atualidade 3
Ofícios de marcar o corpo: significado do trabalho 4
Artífices na arte de marcar o corpo 6
As artes envolvidas na marcação do corpo, a legitimação artística e a relação com os clientes 8
Conclusão 11
Bibliografia e Webgrafia 12
Anexos 13

Introdução
Este artigo do sociólogo Vítor Sérgio Ferreira revelaque o agregado das atividades relacionadas com a produção de design corporal (tatuagem e body piercing) tem vindo a tornar-se num comércio facilmente rentabilizado devido à recente crescente condescendência, valorização e exibição social do corpo nas sociedades do ocidente.
Nesta obra, o autor, perito em temáticas relacionadas com a situação juvenil, propõe-se a estudar, compreender e desvendarsociologicamente o significado do trabalho nos ofícios de marcar o corpo, o significado da marcação corporal, as artes dos ofícios de marcar o corpo e a legitimação artística do ofício de tatuador e relação com a clientela.
O trabalho de investigação levou o sociólogo a interceder com vários profissionais de body piercing e tatuagem bem como com apreciadores destas marcas corporais, cujo númerotem crescido significativamente.
Portugal, nas últimas duas décadas, viu a expansão e diversificação desta indústria de produção e comercialização de modificações corporais – os vários produtos e serviços prestados na área do design corporal tiveram uma difusão sem precedentes. Isto deveu-se não só à dilatação do espectro social dos seus consumidores, mas também à multiplicação dos estúdios ondeessas intervenções são executadas. Além disso, as marcas corporais deixaram de ser regalia particular de grupos ditos alternativos para se tornarem causa de distinção social.
Os ofícios de marcar o corpo passaram a estabelecer não apenas uma oportunidade de imagética no espaço da alteração corporal de cada vez mais jovens, mas também uma possibilidade concreta no horizonte de expectativasprofissionais de alguns deles.

A “arte” de marcar o corpo: a origem e a atualidade
No final do século XIX, indivíduos excessivamente marcados corporalmente marcavam presença no mundo de atrações, mais precisamente nos espetáculos de freaks em circos e feiras itinerantes.
Com o surgimento da máquina elétrica de tatuagem (1881) deu-se um aumento exponencial do número de clientes – a técnica detatuagem torna-se então tecnicamente mais fácil e fisicamente menos dolorosa, favorecendo assim a sua popularização. A arte de marcar o corpo passa então a ser não só uma forma de certos indivíduos e grupos sociais mostrarem as suas vivências, gostos e histórias de vida mas também um modo de vida para alguns.
Uma prática maioritariamente itinerante começa, na viragem do século XX, a tornar-seprofissionalizada e difunde-se então pelos bairros chamados de “duvidosos”. Era nestes locais que os tatuadores e body piercers recrutavam a clientela para os seus estúdios - os clientes eram compostos maioritariamente por indivíduos associados à marginalidade e/ou à vida boémia: marinheiros, estivadores, prostitutas, ex-reclusos, membros de gangs mafiosos (Atkinson, 2003:39; Fisher, 2002:93; Peixoto,1990).
Os tatuadores e body piercers surgem no meio popular, vindos normalmente do mesmo seio de marginalidade que a sua clientela, marcando o corpo dos consumidores sem qualquer vocação e/ou socialização artística.
Hoje em dia o cenário é muito diferente: as marcas corporais deliberadas abalaram a economia marginal – fazem agora parte do mercado altamente competitivo do design corporal.
Apartir da década de 1990 entram em expansão os estúdios de modificação corporal em Portugal, principalmente na zona da capital, oferecendo serviços cada vez mais especializados e profissionalizados (Fortuna, 2002; Ferreira, 2004).
Hoje em dia o “monopólio” de estúdios de design corporal dissolveu-se e existem dezenas de locais onde se podem encontrar imensa oferta de tatuagem e body piercing...
tracking img