Um paralelo sobre educacao infantil brasil x espanha

Solo disponible en BuenasTareas
  • Páginas : 19 (4624 palabras )
  • Descarga(s) : 0
  • Publicado : 28 de noviembre de 2010
Leer documento completo
Vista previa del texto
BRASIL x ESPANHA
Um paralelo sobre a Educação Infantil

Disciplina : História e Políticas para a Infância de 0 a 6 anos


Introdução:
Conhecer outra realidade da Educação Infantil e compará-la com a brasileira foi a nossa idéia inicial. A escolha do outro país, a Espanha, foi devida a vivência de uma das integrantes da dupla.
Estesdois países também fazem parte de uma Organização de Estados Iberoamericanos para a educação e cultura tendo como objetivo a melhora da qualidade educativa e o desenvolvimento científico-tecnológico e cultural.
Buscamos para a realização deste trabalho, os autores trabalhados durante o nosso curso para a parte que fundamentou a história da E.I. no Brasil, sites governamentais e osautores trabalhados na parte espanhola, são professores de universidades com artigos publicados.
Esse trabalho pretende fazer um sobrevôo na história das creches no Brasil e na Espanha. A idéia é fazer um breve relato dos primeiros centros escolares ou creches, quais foram os motivos que levaram a criação, as leis que regulamentaram a Educação Infantil em ambos os países e os desafios/metasque cada país tem na atualidade.
Em relação a Espanha, foram criadas várias leis desde 1857, no entanto, neste trabalho, apenas incluímos as mais significativas.
Ao final, tivemos a pretensão de traçar um rápido paralelo da Educação Inicial nestes dois países, sinalizando alguns pontos em comum e outros diferenciados.
Brasil
O termo “creche” é tomadoemprestado da língua francesa, onde também designa presépio.
O início da história do aparecimento da creche no Brasil está ligado às modificações do papel da mulher na sociedade e suas repercussões na família, principalmente no que diz respeito à educação dos filhos.
As profundas e rápidas transformações sociais e políticas, como a Abolição da Escravatura (1888) e a Proclamação daRepública (1889), abrem no Brasil o caminho para a construção de uma nova sociedade do tipo capitalista. O contexto social era a expansão da industrialização e do setor de serviços, ao mesmo tempo em que crescia a urbanização.
Nesse momento, o atendimento de crianças em creches não era diferente do atendimento em asilos e internatos. Essas instituições destinavam-se basicamente aos filhos demães pobres, de boa conduta, que trabalhavam fora de seu domicílio e às mães solteiras que não tinham como criar seus filhos. O sentimento suscitado nessas mães era a culpa e o atendimento aos seus filhos era considerado uma caridade.
Com o avanço da industrialização no país, as mulheres estavam sendo incorporadas ao mercado de trabalho. As que eram mães enfrentavam o problema de comquem deixar seus filhos? Para algumas, a solução era pagar pessoas de confiança para cuidar deles.
Num passo posterior, fruto de reivindicações operárias, as próprias indústrias passaram a construir creches para que as mães operárias deixassem os filhos quando estivessem trabalhando. A primeira creche surgida no Brasil, na cidade do Rio de Janeiro, dentro desse contexto foi a Creche da Cia.de Fiação de Tecidos Corcovado, fundada em 13 de novembro de 1899. As funcionárias sentiam-se menos preocupadas por saberem que os filhos estavam sendo cuidados e os patrões tinham mães-operárias satisfeitas que produziam melhor. O foco de atenção não estava na criança.
A creche não era defendida tranquilamente por todos, pois trazia à tona conflitos com a defesa do papel materno sob oaspecto médico: amamentação e o aspecto jurídico: abandono de menores. “Mal necessário” era a expressão utilizada para caracterizar a creche, nesse período.
A proposta de constituição das creches era controversa, mas a afirmação de sua necessidade era forte.
Nas décadas de 30, 40, 50 as poucas creches existentes fora das indústrias eram de responsabilidade de entidades...
tracking img